Home > ivanmaia

Chegamos à reta final do Campeonato Brasileiro da série B. Muitos comentários e opiniões circulam na mídia, com boas e más intenções. Como colaborador deste influente portal, decidi deixar minha opinião a respeito do desempenho do time do Vasco. Faço isto antes que o campeonato termine, para que não paire dúvida de que o resultado obtido pelo clube não influenciou minha avaliação. 



Dar a cara a tapa nunca foi problema para mim. Corro esse risco de peito aberto porque não tenho vínculo com ninguém no clube, por isso, se ganharmos o campeonato ou apenas conseguirmos o acesso ou, pior, permanecermos na segundona, não me preocupo com a opinião dos comprometidos com esta ou aquela corrente política do clube. Sempre me inteirei sobre as coisas do Vasco sem precisar participar de nenhuma "turma". Procuro ser cauteloso, discreto e cortês nos meus comentários, sem deixar de ser contundente e objetivo. Dito isto, submeto aos leitores minhas conclusões a respeito do desempenho da equipe de futebol, montada para o ano de 2016. 



Claro que a classificação final na tabela não me importa, porque minha preocupação é com o DESEMPENHO que, se fosse bom, não me traria apreensão. O que eu, como torcedor  não desejo é que o Vasco se consolide como um clube incompetente, um perdedor contumaz,  não merecedor de permanecer na primeira divisão. O vascaíno jamais aceitará a pecha de perdedor, integrante de uma torcida que aceita um time com desempenho medíocre, causador de sua angústia, ansiedade e aflição. Este não é o destino com o qual o torcedor sonha. 



A incerteza sobre o amanhã, provoca dúvida sobre a capacidade da diretoria poder realizar um trabalho consistente e perene. Enquanto o umbigo reinar e os objetivos forem pessoais, permanecerá a desconfiança e não haverá esperança. Porém, quando surgir no Vasco  uma geração de dirigentes centrados no que é melhor para o clube, sem vaidade, ostentação, empáfia e arrogância, estará aberto o caminho para quem quiser recriar um futuro vitorioso. Enquanto isso, sobra-nos a lembrança de um passado de glórias, lentamente transformado em pó por péssimas administrações.



ANÁLISE SOBRE O PASSADO  



Sacudindo a poeira do passado, espantando a saudade e caindo na real, minha avaliação sobre o desempenho da equipe de futebol é péssima, pois não posso julgar o desempenho do Vasco pela incapacidade das outras equipes e sim pela história e importância do clube, tamanho e amplitude da nossa torcida, que sempre nos colocou, por mérito, num patamar de destaque no Brasil. O que esperamos do Vasco é consentâneo com sua grandeza, como enfatizei nos parágrafos acima, mas que não condiz com a nossa realidade. Acompanhe comigo:

1.    Nossa maior vitória no Campeonato Brasileiro da série B foi contra o Sampaio Correia, na primeira rodada do primeiro turno: 4 a 0, fora de casa. Parecia um começo auspicioso mas era a primeira partida;

2.    Em seguida vencemos o Tupi, com mando de campo nosso. O resultado foi 1 a 0, com gol do zagueiro Luan. Martin Silva ganhou cartão amarelo por fazer cera;

3.    Na terceira rodada vencemos o Vila Nova por 2 a 0, no Mané Garrincha, com dois gol de Nenê, ambos no segundo tempo. Um de pênalti aos 29 minutos e outro de falta aos 36;

4.    Na quarta rodada, vencemos o Bahia, com mando de campo nosso. O resultado foi 4 a 3;

5.    Em seguida empatamos com o grande Oeste, fora de casa, por 1 a 1. Nenê fez o gol no primeiro minuto do jogo e o adversário empatou aos 29;

6.    Na sexta rodada, Vasco 1 a 0 contra o Goiás, com mando de campo nosso. Gol de Andrezinho aos 25 do segundo tempo;

7.    Na sexta rodada ganhamos do Joinville, na casa deles, por 2 a 0, com dois gols de Leandrão, o que não significou nada, porque o centroavante anda meio desprestigiando;

8.    Na oitava rodada perdemos para o Atlético GO por 2 a 1, com mando de campo do adversário, apesar de jogarmos em Cariacica. Mesmo assim precisamos do zagueiro Luan para fazer nosso único gol;

9.    Nona rodada: 3 a 2 no Náutico, com mando de campo nosso;

10.    Na décima rodada perdemos em casa para o Paysandu  por 2 a 0,  com gols aos 35 e 42 minutos do segundo tempo; 

11.    Na décima primeira rodada ganhamos do Londrina, na casa do adversário, por 1 a 0 com gol de Rodrigo aos 7 minutos do primeiro tempo. Daí em diante foi uma cera só; 

12.    Décima segunda rodada: Vasco 2 a 1 no CRB, fora de casa. O CRB fez primeiro, aos 26 do primeiro tempo e o Leandrão empatou logo em seguida. Viramos aos 12 do segundo tempo, com Andrezinho e rezamos para o jogo acabar;

13.    Na décima terceira rodada jogamos contra o Paraná com mando de campo nosso. Perdemos de 2 a 1, com gol contra de Jorge Henrique aos 35 do primeiro tempo. O Paraná virou aos 43 da segunda etapa; 

14.    Fomos jogar fora contra o Avai e perdemos por 2 a 1. Fizemos nosso gol aos 40 minutos do segundo tempo,  com Caio Monteiro;

15.    Na décima quinta rodada ganhamos em casa do Brasil de Pelotas, por 2 a 0.

16.    Na décima sexta rodada empatamos com o Luverdense por 1 gol, fora de casa. Deixamos a vitória escapulir no primeiro minuto da prorrogação do segundo tempo; 

17.    Jogamos com mando de campo contra o Bragantino e vencemos na décima sétima rodada, por 2 a 1. O time do interior Paulista abriu o placar aos 17 da etapa inicial e viramos no segundo tempo, no sufoco; 

18.    Na décima oitava rodada vencemos em casa o Criciuma, por 2 a 1. O primeiro tempo foi 1 a 1 mas desempatamos aos 27 minutos do segundo tempo, com gol de Thalles;

19.    Na décima nona rodada empatamos em zero com o Ceará,  no nordeste;

20.    No início do returno, vigésima rodada, empatamos em Cariacica com o Sampaio Correia,  por 1 a 1;

21.    Na vigésima primeira rodada empatamos em Juiz de Fora com o Tupi por 2 a 2. O Tupi abriu o placar  e Luan empatou no minuto de prorrogação do primeiro tempo. Viramos aos 3 do segundo tempo e cedemos o empate aos 24.

22.    Na rodada 22, perdemos para o Vila Nova por 2 a 1, em casa. O adversário fez 2 a 0 no primeiro tempo e Douglas diminuiu aos 9 do segundo tempo.

23.    Na vigésima terceira rodada fomos jogar em Salvador contra o Bahia. Perdemos de 1 a 0;

24.    Na vigésima quarta rodada ganhamos do Oeste por 3 a 2. Fizemos 2 a 0 e cedemos o empate. O gol da vitória saiu aos 47 da segunda etapa, com Yago;

25.    O jogo número 25 foi contra o Goiás, fora. Empatamos em 1 a 1. Cedemos o empate aos 40 minutos do segundo tempo; 

26.    Na rodada de número 26, vencemos por 2 a 0 o Joinville em casa, com dois gols no segundo tempo; 

27.    Na vigésima sétima rodada vencemos o Atlético GO por 2 a 0, em casa, com dois gols de Ederson;

28.    Na vigésima oitava rodada o Náutico nos derrotou por 3 a 1. O jogo foi no Recife e prefiro esquecer;

29.    A vigésima nona rodada foi em Belém contra o Paysandu. Outro 3 a 1 contra. O Vasco começou na frente mas entregou. 

30.    Na trigésima rodada vencemos o Londrina na arena da Amazônia por 1 a 0, com um gol contra aos 27 minutos;

31.    Na trigésima primeira rodada jogamos em casa e perdemos para o CRB por 2 a 1. O adversário chegou a fazer 2 a 0 e só diminuímos aos 48 da segunda etapa. 

32.    Na trigésima segunda rodada, por sorte, jogamos em Cariacica, mesmo sendo mando do Paraná.  Vencemos por 1 a 0, com gol de Thalles aos 19 minutos do segundo tempo. 



Faltam, até esta publicação,  6 jogos para o Vasco encerrar sua participação na competição e torço para que voltemos à primeira divisão. 



ANÁLISE SOBRE O FUTURO  



Jogaremos contra o Avai (casa), Brasil (fora), Luverdense  (casa), Bragantino  (fora), Criciuma (fora) e Ceará  (casa). Estou torcendo por melhora mas estou temeroso. Os adversários que lutam pelo acesso estão perto. O Atlético está 4 pontos à  frente, com 61 pontos, o Avaí está com54, o Londrina está com 52, o Náutico tem 51, o Bahia tem 50 e o CRB TEM 49.

Infelizmente o time do Vasco já não mete medo em ninguém. Vencemos dezessete partidas das trinta e duas jogadas: uma por 4 a 0, quatro por 2 gols de diferença e doze pela diferença mínima. Empatamos seis partidas e perdemos nove. Isso, em percentual significa que vencemos 53 porcento do total das partidas e empatamos ou perdemos 47 porcento. Em relação aos 96 pontos disputados, conseguimos conquistar 57 (59,4 por cento, incluindo vitórias e empates). Deixamos de conquistar 40,6 porcento dos pontos disputados.



Das vitórias obtidas, 70 porcento delas foi pela diferença mínima de gols, muitas delas com jogadas de faltas cruzadas na área. Sofremos, até agora, 35 gols e marcamos 48, um saldo de 13 gols. Ganhamos 11 jogos dos 16 efetuados como mandante (aproveitamento de 68 porcento) e 6 dos 16 jogados como visitante (aproveitamento de 37 porcento). Perdemos 4 jogos dos 16 jogados em casa (25 porcento). Perdemos 5 jogos dos 16 jogados fora (31 porcento). Empatamos 1 vez como mandante e 5 vezes como visitante.



Repito, faltam seis jogos, três fora e três em casa. Pelos números expostos (considerando o aproveitamento em casa e fora de casa), podemos considerar a possibilidade de conquistar mais 9 dos 18 pontos em jogo. Isso faria o Vasco terminar com 66 pontos. Se der deu, se não der...



Tomara que o desempenho do time desminta as estatísticas e conquistemos todos os pontos em disputa. Voltaremos ao assunto, na medida em que as rodadas se realizarem.



Até breve. S.V.

 


Compartilhe