Home > ivanmaia

Você acha que uma torcida não amadurece? Que uma torcida só sabe criticar mesmo que tenha um time mal escalado e mal administrado? Se era isso que voce pensava da torcida do vasco, então me acompanhe. Se sua opinião é outra, confira comigo se tenho ou não razão.

Mesmo com poucas conquistas, com muitas decepções e traições, a torcida do Vasco vem demonstrando que seu amor ao clube não está diretamente relacionado ao desempenho pífio de seu mal treinado time e sua má administração. E essa dicotomia não é resultado de uma mudança inesperada, abrupta. É a prova de que as coisas que acontecem dentro do clube e as coisas que realmente importam para o torcedor trilham caminhos diferentes. São duas estradas que cada vez mais se distanciam.

A torcida do Vasco vem demonstrando um amadurecimento que não consideramos normal se comparado ao desempenho cada vez mais retrógado daqueles que administram o Vasco. Enquanto a torcida vem demonstrando amadurecimento e assumindo seu papel de verdadeiro motor do clube, seus ultrapassados administradores (e eu falo de todos dentro de todos os poderes do clube) vêm trabalhando contra os interesses do Vasco.

Enquanto o torcedor se conscientiza que não adianta descontar nos jogadores da base sua frustração, os administradores cada vez mais se aperfeiçoam em babaquice e em lutar por seus interesses pessoais, não necessariamente nesta ordem.

Enquanto a torcida demonstra que é importante apoiar, principalmente os jovens talentos, acreditando que é preciso dar oportunidade para que eles amadureçam, a gentalha que insiste em dar as cartas se especializa em perder o respeito do torcedor, aqueles que verdadeiramente dão razão à existência do clube. O respeito pelo torcedor eles nunca tiveram mesmo, mas agora quem está perdendo a paciência com eles é a própria torcida.

Sempre julguei prejudicial ao clube, a atitude de uma parte da torcida, que perdia a paciência com a equipe, parte dela ou algum jogador em especial e começava a vaiar, jogando contra o time.

Era uma parte dos torcedores que se mostrava intransigente, principalmente em casa, e cujo pavio queimava muito rápido, o que ajudava o outro time a reduzir o ímpeto ofensivo do Vasco, fazendo diminuir nossa pressão sobre o adversário. Isso fazia nosso jogador da base se sentir inferior por não atender as expectativas da torcida.

Quando você, que deveria estar do lado dele, demonstra que não acredita e não confia nele, a tendência é que o desempenho caia e, se perdurar essa avaliação desfavorável, o desempenho negativo acaba se transformando em crescimento do adversário e o ambiente se torna hostil à equipe, invertendo a pressão.

Pelo que tenho percebido, parece que a torcida do Vasco, ou grande parte dela, tem se conscientizado da importância de apoiar nossos atletas, principalmente os mais jovens.

Sabemos que nós, como torcida, jogamos junto com o time e nos frustramos quando as coisas não saem como esperamos. Ninguém gosta quando um jogador não vai bem ou quando um jogador perde um gol feito. Mas precisamos controlar nossas frustrações para não transmitirmos aos atletas nossa insatisfação ou decepção.

Esse sentimento de apoio incondicional, principalmente durante o jogo, parece ser, cada vez mais, uma constante dentro da torcida do Vasco. E eu acho que só assim podemos ajudar o crescimento profissional de um atleta da base. É preciso dar tempo ao tempo e não pressionarmos a diretoria para se livrar de um jogador promissor.

Não tenho mais dedos nas mãos para contar a quantidade de atletas que foram criados no Vasco e acabaram desabrochando em outras equipes, inclusive do exterior. Porque não adianta pensar que a diretoria é racional ou forte o suficiente para segurar um atleta unicamente com base numa avaliação técnica de sua capacidade.

Se a torcida perseguir um garoto, a diretoria, e principalmente seu presidente, torra o atleta sem pensar duas vezes. Para o presidente sua sobrevivência vale mais do que sua consciência. Duvida?

Quem não fica com medo de que os dirigentes do Vasco, por desespero, façam uma burrada e vendam o Marrony por um valor inferior ao que vale? Ou o Talles, ou qualquer outra promessa que se destaque na equipe?

A torcida é o verdadeiro termômetro para medir até onde pode chegar um dirigente sufocado por dívidas e sem apoio interno. Infelizmente a briga interna constante do Vasco não ajuda a montagem de um time de ponta. Por isso, a solução atual é apostar na base. Torcedor, apoie os jovens jogadores porque não temos outra opção.

Na próxima postagem falarei sobre a briga política do Vasco e o risco de aprovarmos uma reforma meia boca do estatuto. Torcedor, abra o olho: os órgãos internos do Vasco estão infiltrados por maus caracteres.

Até mais. Saudações Vascaínas!

Compartilhe