Home > ivanmaia

Todo mundo já sabe que Pássaro e Diniz não continuam para 2022. O Pássaro eu concordo. Afinal foi o responsável pela composição do elenco. Diniz, não, a não ser que saia em solidariedade ao diretor executivo de futebol. Segundo a nota oficial do clube, “Pássaro atuou de forma profissional e reestruturou inteiramente o Departamento, estabelecendo processos fundamentais para sua modernização e contribuindo para o aumento da saúde financeira do Clube”.

A mudança era necessária, mas o trabalho administrativo do Pássaro, também. A saída do treinador, ou foi por solidariedade ao diretor ou foi uma forma que a diretoria achou de dar satisfação para o torcedor irritado.

Explico: Se o Alexandre Pássaro foi bom administrativamente, segundo a própria diretoria, era bom para negociar e confeccionar contratos, foi bom para montar e estruturar o departamento de futebol, então onde ele errou? O erro dele foi na montagem do elenco. Então não era melhor colocar um especialista em montagem de elenco e deixá-lo responsável pelas atividades administrativas? Na minha opinião ele é um ótimo negociador e analista de contrato, por exemplo, mas não tem experiência para montar tecnicamente uma equipe para a série B. Estranho...

Quanto ao treinador, faço a seguinte pergunta: se o Diniz recebeu um elenco pronto, mas mal montado, qual outro treinador poderia fazer algo diferente, se nenhum dos que passaram por aqui conseguiu bons resultados? Tirar leite de pedra é difícil, mesmo.

Na minha opinião, o erro maior foi da Diretoria: soube encontrar uma pessoa capaz de montar uma estrutura para o departamento de futebol, mas não foi capaz de encontrar uma pessoa especialista em montagem de equipes para a série B. Então apostou no Pássaro, acreditando que seria capaz de realizar este trabalho, mesmo nunca tendo realizado esse trabalho, pelo menos num clube complicado como o Vasco. Todo mundo sabe que na série B o vigor físico supera a qualidade técnica. Que por não ser um campeonato tecnicamente de excelência, é disputado por clubes que lutam para subir para a série A e lutam para não se afundar mais para a série C. Os times parecem que disputam cada partida como se disputassem um prato de sopa. Por isso, não é possível ter sucesso com uma equipe montada com jogadores tecnicamente razoáveis, mas com preparo físico deficiente. Assim era o time do Vasco. Muitos jogadores experientes, mas em final de carreira e situação física decadente. Nem vou citar os nomes porque o torcedor sabe que o elenco está recheado de atletas com problemas físicos. Alguns nem condição de jogar tinham. 

Por outro lado, na base, o Vasco aparenta que tem o hábito de mimar jovens que, se deslumbram com as maravilhas que o Rio de Janeiro oferece e esquece de realizar o trabalho de alertá-los para o perigo de uma profissão que exige muita concentração e dedicação, pois a carreira pode ser curta. Por isso, ao que parece, não realiza o trabalho de puxar as orelhas dos jovens, quando necessário. Daí, possibilita a criação de jogadores que se preocupam mais em cortar e pintar seus cabelos, frequentar locais da moda e baladas, e se esquecem que ainda não são nenhum Dinamite, Romário, Edmundo, Juninho Pernambucano e muitos outros ídolos que passaram pelo Vasco e que lutaram muito para conseguir um lugar de destaque na história do clube. Eu sei que o mundo de hoje está cheio de armadilhas deste tipo e que a maioria dos jovens jogadores é atraído pelos caminhos das facilidades e, por isso, muitos não conseguem ir longe em suas carreiras. Mas o clube tem que complementar sua orientação, fazendo o trabalho de mantê-los na linha.

Mas tem mais gente culpada nessa história: a torcida, que acredita em promessas e se ilude com opiniões de jornalistas ou influenciadores que enganam os torcedores, quando esquecem de analisar com profissionalismo e sem paixão o desempenho do time e oferece aos torcedores balinhas de esperança a cada uma das poucas vitórias e bons desempenhos do time. O que mais vi na internet foram opiniões de analistas ou jornalistas vascaínos, como que estivessem de porre, distribuindo falsa esperança de alcançar o acesso, com um time que sabiam que estava fadado a frequentar o meio da tabela. Jogadores com alguma técnica e nome de outrora e nenhum vigor hoje.

E a decisão da diretoria, infelizmente, não resolverá os problemas do Vasco porque o que a oposição e os influenciadores e jornalistas que atuam nas redes sociais procuram, para se destacar e sobreviver, é o quanto pior melhor. E eles sabem que os espaços nas redes sociais será mais visitado e dará mais retorno aos envolvidos se os resultados do time forem ruins e provocarem revolta na torcida. Derrotas e confusão são os substantivos preferidos das oposições e da maioria daqueles que vivem da opinião pública. E a internet é um instrumento poderoso para monetizar essas opiniões e oferecer-lhes os ganhos que tanto procuram.

E qual seria a solução para o Vasco? Difícil dizer. Eu ia dizer que os gaviões deveriam deixar de rondar o clube, mas poderiam achar que estava me referindo a um clube paulista. Depois pensei em colocar a culpa nos urubús, mas também poderiam achar que me referia a um clube do Rio. Então prefiro me referir aos sanguessuagas do Vasco como aves de rapina, quaisquer uma delas.

Torcedor e sócio do CRVG, até a próxima.

Saudações Vascaínas!

Compartilhe

Mais comentadas